Artigo

Saúde da grávida no 1º trimestre

Saiba como garantir os cuidados de saúde mais importantes na gravidez e aprenda algumas estratégias para aliviar os desconfortos mais comuns neste trimestre.

Escrito por: Dra. Marcela Forjaz, Ginecologista-Obstetra.

O primeiro trimestre da gravidez é um abrir de portas para um “admirável mundo novo” e, a par das descobertas e adaptações do corpo ao novo estado, há alguns cuidados a tomar e truques para contornar alguns acontecimentos menos agradáveis.

Enjoos de manhã ou ao longo de todo o dia, sono, dificuldade de concentração, alterações da memória e um peito tão sensível que até a virar-se na cama desperta com o desconforto, são apenas algumas das queixas comuns das grávidas em início de viagem.

Cuidados de vigilância médica

Inicia-se uma caminhada de novas aquisições, hábitos de vida, cuidados especiais, exames médicos e consultas. Tudo conduzindo tendencialmente para um só fim: um bebé saudável nos braços da sua mãe.

As consultas de acompanhamento da gravidez ocorrem uma vez por mês, em média, e nestas são avaliados os sinais de bem-estar fetal e materno, o desenvolvimento do feto, a sintomatologia e evolução ponderal da grávida.

Neste sentido, são pedidos alguns exames que têm um calendário bem específico, sendo os mais nobres, no primeiro trimestre, os que têm como objetivo rastrear ou diagnosticar algumas alterações genéticas do bebé.

Nas mulheres com menos de 35 anos são realizados os exames ditos de rastreio de cromossomopatias, seja o rastreio bioquímico simples, seja o combinado (articulando análises do sangue com dados fornecidos pela ecografia, nomeadamente a medida da translucência da nuca).

Nas grávidas com mais de 35 anos, existe a possibilidade de realizar exames de diagnóstico, como o estudo do cariótipo do bebé, realizado recorrendo à amniocentese ou ainda, mais recente, o exame do DNA fetal circulante no sangue materno. Este, tendo a vantagem de não ser invasivo, não fornece no entanto toda a informação que o cariótipo dá e também não é ainda comparticipado pelo nosso sistema nacional de saúde.

A filosofia por trás da escolha destes exames prende-se com o facto de a amniocentese se tratar de um exame invasivo e, desta forma, pretende-se não sujeitar uma grávida jovem, sem risco apreciável de ter um bebé com anomalias genéticas a um exame com risco de perder o seu bebé.

O risco de aborto associado à amniocentese é muito baixo, mas existe, pelo que não faria sentido expor uma mulher jovem a esse risco. A par destes exames, bastante específicos, realizam-se análises de avaliação do estado geral da grávida e do seu estado imunológico para determinadas infecções que poderiam colocar em risco a saúde do seu bebé.

Nas consultas é ainda prestada informação sobre alguns aspetos que influenciam a evolução da gravidez, como as relativas aos hábitos alimentares, à prática de atividade física e ao abandono de hábitos nocivos como o tabaco e álcool. Pretende-se que a grávida tenha uma alimentação variada, polifracionada, e não estando imune para a toxoplasmose, dão-se noções sobre que alimentos evitar para reduzir o risco de contrair essa doença.

Quanto ao exercício, em função da atividade desportiva prévia, discutem-se eventuais ajustes à intensidade do exercício e planeia-se com a grávida o que poderá praticar. Álcool e tabaco são para abandonar, embora este último possa ser alvo de alguma margem (pouca) de negociação.

Estratégias para minimizar os desconfortos

Quanto aos desconfortos iniciais, há sempre truques para os contornar: o enjoo diminui se os intervalos entre as refeições forem pequenos; outro truque será recorrer ao gengibre ou comer umas bolachas que estejam na mesa-de-cabeceira uns dez minutos antes de se levantar.

Para o sono nada há a fazer, a não ser dormir, mas já a dificuldade em concentrar-se será mais controlada se interromper o trabalho cada 50 minutos e “circular” um pouco em pé, durante uns dez minutos, para voltar a pegar no que fazia antes do intervalo, mais desperta e com o interesse mais focado. Vendo bem, o primeiro trimestre passa num instante e, em breve, estes desconfortos estarão ultrapassados.

Newsletter

Receba dicas e conheça novos testemunhos todos os meses.

O seu endereço de e-mail

Data prevista para o parto

 

Siga-nos

Faça parte desta comunidade.


Com o patrocínio de: